Fios: Algodão, Viscose ou Poliéster?

Com Qual Trabalhar?

A primeira coisa que devemos saber é que o algodão é uma fibra natural e nobre, cujo uso na costura e bordados é antigo e faz parte da tradição que continua este maravilhoso ofício até hoje. Sou a favor da teoria de que não estamos aqui apenas para fazer artesanato, mas também para homenagear um trabalho, estudo e técnica que remonta a milhares de anos. Uma herança milenar O algodão é resistente, tolera bem a umidade, preserva muito bem a cor (graças ao processo de mercerização dos fios de boa qualidade); entretanto, pode encolher quando submetido a temperaturas acima de 40°C, então nem pense em colocar roupas bordadas na secadora.

O poliéster, por sua vez, é uma fibra sintética de plástico, muito mais barata que o algodão, extremamente resistente ao frio, mas muito fraca ao calor intenso, como passar. No mundo dos bordados, os fios de poliéster são geralmente opacos, mais grossos e não têm um acabamento sedoso como o algodão. Os fios fluorados são sempre feitos desse material, já que as fibras naturais não conseguem atingir aqueles tolos quase reflexivos quando tingidas.

A viscose (ou rayon) fica no meio, é um material semissintético que consiste em uma fibra de celulose submetida a diversos processos químicos. O fio desse material é sedoso, brilhante e macio (já que é a símile barata e sintética da seda), e muitas vezes no mercado grandes marcas o vendem como “fio de seda”, mas está longe de ter as qualidades do último lote. O fio de viscose não é muito resistente quando seco e principalmente quando molhado, por isso a decisão de incluí-lo ou não no bordado é complexa. O que sim, nem pensar nisso para strass, já que sua baixa resistência pode fazer com que corte com facilidade e nosso meticuloso trabalho se perca.

Portanto, quando se trata de bordados, minha opinião é que todos os tipos de fios são bem-vindos, SEMPRE E QUANDO conhecemos bem suas propriedades e sabemos que a superfície onde os usaremos é adequada.

Para trabalhar com strass é outra história. Os fios de algodão e de seda são os meus preferidos, não só porque são a matéria-prima original, mas porque são limpos, a sua produção não agride o ambiente e são extremamente firmes e resistentes quando são de boa qualidade. Ainda mais se, no caso do algodão, for encerado com cera de abelha 100% natural. Os fios metálicos e de viscose para mim são descartados no trabalho do guarda-roupa e eu só os usaria em uma pintura ou projeto decorativo que não vá ter atrito, devido à sua baixa resistência. O fio de poliéster, por mais resistente que seja, não é um material nobre e não valoriza um trabalho que se baseia em uma técnica milenar. Qual é a utilidade de trabalhar com strass finos, calibrado ou caro se for costurar com linha de plástico? Não há uma contradição aí? O investimento em fio de algodão vale a pena, não só pelo resultado, mas porque efetivamente estaremos criando empregos de alto valor técnico e de maior qualidade, o que para mim é inevitável.

A fatura e a conservação de uma obra com fio natural, simplesmente não têm comparação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *