Seguro saúde viagem

seguro-saúde-viagem

Serviço

Seguro de viagem ou assistência ao viajante, o que é melhor?

Metade dos argentinos que deixam o país de avião omite contratar algum tipo de cobertura. Vantagens e desvantagens do seguro, para se livrar de uma grande dor de cabeça … e bolso.

seguro-saúde-viagem

Primeiro, um fato marcante (se não preocupante): de acordo com dados do Cartão Assist, metade dos argentinos que deixam o país por via aérea o fazem sem qualquer tipo de cobertura. E o segundo: a fração de viajantes que escolhem se proteger de eventualidades durante a viagem geralmente confundem assistência de  viagem com seguro saúde viagem , dois formatos de cobertura que, quase, não se parecem em nada.

Para aqueles que contratam sem saber o que, aqui estão algumas informações úteis. A diferença entre um tipo de proteção e outro cobre não apenas o aspecto elementar de se o que é protegido são as pessoas ou os objetos (ou ambos!), Mas também uma questão básica relacionada aos momentos em que a cobertura será colocada em prática. março

 

Olha também

 

Clarisa Luhning é a diretora comercial, uma plataforma online de venda de seguros que, através da web, permite citar, comparar e contratar a política desejada.

Como ele explica, “não é o mesmo um conjunto de serviços gerenciados por uma equipe de profissionais (com um telefone disponível do exterior) 24 horas, que um certo valor segurado para pagar em caso de imprevistos“.

Uma questão de tempos

É elementar, mas nem sempre é levado em conta: antes de um imprevisto durante a viagem, a assistência ao viajante age no momento em que o evento ocorre. O seguro de viagem, por outro lado, tem uma eficácia subsequente.

Como Luhning salienta, “a principal diferença entre os dois tipos de cobertura é que, enquanto a assistência ao viajante oferece um serviço direto e aconselhamento no momento em que a pessoa precisa, seja qual for a hora e local, o seguro de viagem consiste em em reembolsar o dinheiro gasto pelo segurado após o evento que ele teve que pagar, algo que também implica que é o mesmo viajante que deve procurar, por exemplo, o profissional médico que precisa “.

 

Mas de modo algum o seguro de viagem é considerado um serviço deficiente, mas seus objetivos são totalmente diferentes: seu objetivo é proteger ou garantir, do ponto de vista econômico, os pertences dos turistas.

Olha também

 Viaje mais barato, uma questão de cintura

É assim que as seguradoras de viagens não precisam de uma rede de provedores que atuem em tempo real. Sua mecânica de trabalho consiste em receber e ressarcir os gastos gerados em face de um inconveniente.

Todos os itens

De acordo com o plano contratado os programas de assistência de viagens podem oferecer muito mais do que as soluções de saúde, e neste momento a política pode mesmo terminar itens básicos, incluindo seguro de viagem.

Olha também

 Um novo código QR para agências de viagens

Por exemplo, você pode obter o seguro de roubo ou perda de bagagem e cancelamento (para recuperar o investimento se a viagem não é concreto), responsabilidade (protege contra imprevistos, como danos a terceiros), transferência de fundos em caso de emergência, assistência telefone e overbooking, se o excesso de reservas de alguma forma complicar a viagem.

A vantagem do planejamento

A cobertura a escolher durante uma viagem dependerá do bolso do passageiro. Mas vale a pena pensar com muito cuidado antes de saltar sem absolutamente nada. Uma informação é suficiente: uma imagem de apendicite pode custar cerca de 50.000 dólares fora do país. O corpo não avisa.

Olha também

 O desafio de viajar com bebês e crianças pequenas

Federico Tarling, diretor de operações da Assist Card, explicou a Todoviajes que 85% dos atendimentos realizados pela empresa estão relacionados a problemas de saúde; 8 por cento são consultas para bagagem perdida; e 2%, problemas com vôos.

 

É interessante que enquanto metade dos passageiros argentinos que partem de avião não têm cobertura, os números diminuem quando se trata de rotas terrestres e fluviais. Apenas 3 a 4 pessoas confiam e saem sem contratar nenhum serviço. Ou seja, eles estão “à deriva”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *