Câncer de colo de útero

Receber um diagnóstico de câncer no colo do útero não é nada fácil, ainda mais quando se está pensando em engravidar e construir uma família. Uma das principais dúvidas das mulheres que passam por isso diz respeito justamente à possibilidade de engravidar após o tratamento oncológico. 

O ideal é sempre procurar um profissional especializado em Reprodução Humana para que ele oriente a paciente a respeito de seu caso, de maneira individualizada. O primeiro ponto que deve ser levado em consideração é o tipo de câncer que a mulher tem, se haverá algum tipo de sequela e como ela foi agressiva ao organismo feminino. 

Além disso, é necessário entender e analisar se existe a chance de recidiva. Isso porque, caso a doença retorne durante a gravidez, existe um risco alto de que a gestante tenha que passar pelo tratamento novamente — o que seria prejudicial e nocivo para o bebê. 

Infelizmente, ainda não existe uma resposta definitiva a respeito da possibilidade de engravidar depois de passar por um câncer no colo do útero. No entanto, de maneira geral, os médicos oncologistas acreditam que o risco de haver recidiva é pequeno caso ele não retorne novamente em até cinco anos.

A boa notícia é que, graças aos avanços tecnológicos, hoje é possível preservar a fertilidade da mulher durante a intervenção e traçar uma estratégia para que futuramente seja estabelecida uma gestação saudável e tranquila. 

Quais são as chances de engravidar após o tratamento oncológico?

Pacientes que passam por um tratamento do câncer no colo do útero, como a quimioterapia e a radioterapia, preocupam-se bastante por ambos serem capazes de reduzir a fertilidade. 

Essa redução pode ocorrer porque os ovários são muito sensíveis e, dependendo do tipo e da dosagem dos medicamentos ministrados, eles podem ser afetados drasticamente. Existem casos de câncer no colo do útero em que, infelizmente, é preciso que a mulher retire todo o útero, impossibilitando que a paciente engravide de maneira natural. 

Como preservar a fertilidade em casos de câncer de colo de útero

Existem algumas técnicas que podem preservar a fertilidade de mulheres que passaram por um câncer no colo do útero, permitindo que as pacientes que passaram por tratamento oncológico consigam realizar o sonho de serem mães. Entre os métodos mais eficazes para a preservação da fertilidade podemos citar:

  • Congelamento de óvulos-embriões;
  • Cirurgia ginecologia conservadora;
  • Ooforopexia.

A escolha do melhor método para preservação da fertilidade deve ser feita por um especialista em Reprodução Humana, que deverá avaliar as particularidades do caso e identificar o tratamento que oferece maiores chances de sucesso. Os principais fatores que influenciam nesta avaliação são a idade da paciente e a forma como o câncer foi tratado. 

Muitas vezes, o ideal é que a procura por um método de preservação da fertilidade seja feita antes mesmo de a paciente dar início ao tratamento oncológico. Dessa forma, é possível programar-se antecipadamente para a possibilidade de ter filhos após um câncer de colo de útero