Alergia a pulgas

A alergia a pulgas é, sem dúvidas, uma das principais responsáveis pelo surgimento de dermatites em gatos e cachorros. O Brasil, por ser um país tropical, é um território perfeito para a proliferação desses insetos que se infiltram entre os pelos dos animais para se alimentarem de seu sangue.

A mordida desse parasita provoca uma sensação de coceira e desconforto, e pode até mesmo causar alergia a pulgas nos animais de estimação. Engana-se quem pensa que gatos, ainda mais sensíveis do que cachorros, estão a salvo da praga quando moram em apartamentos.

Os parasitas se infiltram rapidamente em um simples passeio de um cachorro do vizinho à rua e se espalham pelos corredores do prédio, podendo atingir o seu bichano e provocar nele essa alergia a pulgas. A grande solução para esse problema é promover um controle sistemático da praga e ficar atento aos sinais de que o seu pet pode estar sendo hospedeiro dos insetos.

Como identificar a presença de pulgas no pet

Pets que estejam com pulgas costumam apresentar alguns sintomas característicos, como:

  • Queda de pelos;
  • Coceira constante;
  • Se lambem excessivamente;
  • Apresentam falhas no pelo, vermelhidão e feridas;
  • Gengivas pálidas.

Além do mais, também é possível ver, de vez em quando, a pulga passeando na pele do animal. Os pets que tenham alergia a pulgas se lambem muito, tendo poucos desses insetos no corpo. Tutores acabam acreditando, nesse tipo de situação, que a picada do artrópode não é a causa primária da alergia.

Animais que se expõem apenas ocasionalmente a pulgas possuem uma sensibilidade maior em comparação àqueles que mantêm um contato mais frequente com a saliva do inseto. Pets que sejam expostos ao parasita somente na fase adulta tendem a desenvolver alergia a pulgas com mais facilidade com relação aos que já tiveram que enfrentar o problema quando filhotes.

Tratamentos e outros cuidados

Existem diversos produtos antipulgas responsáveis por livrar o seu amigo de quatro patas das pulgas. Existe, por exemplo, um comprimido mastigável que deve ser consumido uma vez ao mês. Assim, o parasita morre antes mesmo de botar ovo.

A pipeta, por sua vez, é aplicada na nuca do animal para que ele não lamba o líquido, e tem efeito duradouro de até três meses.

A coleira apresenta uma eficácia de oito meses, mas muitos gatos costumam apresentar alergia do material utilizado para a confecção do acessório.

Existe ainda um xampu com efeito pouco duradouro: de um a dois dias. Essa solução, contudo, pode não ser uma boa ideia para gatos que não gostam de tomar banho. Essa situação pode gerar um quadro de estresse no bichano.

O tratamento, em geral, varia de acordo com a orientação do médico veterinário. Também é preciso fazer um cuidado com o ambiente, desinfetando-o da presença de pulgas que, porventura, tenham caído. 

Dar banhos periódicos no pet e escovar seus pelos, observando se ali ainda existe incidência de pulgas, são outros cuidados preventivos que devem ser adotados pelos tutores de animais.