Conheça as principais causas do mau hálito

Acordar com mau hálito é extremamente normal, mas quando isso afeta um dia inteiro, pode ser que algo esteja errado. 

Existem diversas causas para o surgimento da halitose, podendo ser devido à má higiene bucal, problemas de saúde ou até mesmo por altas horas de jejum. 

O mau odor na boca pode acarretar múltiplos problemas de autoconfiança, atrapalhando todo o estilo de vida do indivíduo. Buscar saber qual a causa desse obstáculo é essencial para obter um diagnóstico e iniciar um tratamento. 

É essencial procurar uma clínica odontológica ou um dentista infantil, no caso de crianças, para se consultar e saber se a causa do mau hálito é devido a problemas bucais ou outras patologias. 

Se você quer saber quais os mais motivos para o surgimento da halitose, vá adiante com a leitura e saiba o que pode fazer para solucionar esse problema!

Quais problemas causam?

Conviver com a halitose não é uma tarefa fácil, tanto para as próprias pessoas quanto para quem está ao redor, podendo ser algo constrangedor.

O mau hálito pode ser causado por vários fatores de risco como por exemplo: 

  • Má higiene bucal; 
  • Tabagismo; 
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Desidratação; 
  • Doenças sistêmicas;
  • Doenças bucais.

A causa da halitose pode ser referente a diversos motivos, como, por exemplo, doenças bucais que ocasionam mau hálito, como a gengivite e periodontite que tendem a surgir devido a má higiene bucal, levando a sangramentos gengivais que causam mau odor.

Para um diagnóstico aprofundado, é necessário buscar um dentista especialista em gengiva e cuidar desse problema. 

Caso seja devido a problemas de doenças sistêmicas é preciso investigar para fazer um tratamento adequado.

Quando se preocupar com o mau hálito? 

A halitose começa a ser preocupante quando percebemos que por mais que estamos fazendo de tudo para contê-la, ela não diminui. 

Com isso, é preciso ir a uma clínica de dentista para que haja uma investigação mais convincente.

Muitas doenças respiratórias podem levar ao mau hálito, com isso o dentista conseguirá perceber se há doenças sistêmicas ou bucais, encaminhando-o para um especialista. 

Como prevenir o mau hálito? 

Caso o mau hálito não seja causado por doenças sistêmicas, a prevenção pode ser a base da simples e necessária higiene bucal. 

É essencial investigar a causa do mau hálito, que pode ser também devido ao caseum amigdalar, que são acúmulos de alimentos que grudam na amígdala provocando mau cheiro.

Outras situações que podem causar a halitose é a saburra lingual – massa branca de restos de alimentos e bactérias que ficam na língua. 

Para obter uma prevenção é necessário alguns cuidados como: 

  • Escovar os dentes após todas as refeições;
  • Fazer o uso de creme dental com flúor;
  • Usar o fio dental para retirada de alimentos nos dentes;
  • Usar antisséptico bucal sem álcool e com flúor;
  • Fazer profilaxia – limpeza nos dentes – no consultório dentário.

Todo cuidado pode funcionar como uma forma de prevenção, por isso escove os dentes e faça visitas periódicas ao seu dentista de confiança.

Como reduzir o mau hálito?

Se não houver prevenção com certeza pode ocorrer a halitose, com isso a única forma de tratar é continuar higienizando bem a boca e os dentes. 

Engana-se quem acha que usar balas para aliviar o mau hálito faz bem, na verdade piora pois pode provocar o aparecimento de cáries, muitas vezes agravando o problema. O dentista para fazer canal poderá ajudar, nesta situação.

Para reduzir o mau hálito é necessário tornar alguns hábitos frequentes, sendo preciso escovar os dentes após todas as refeições, usando produtos de higiene bucal que ajudem a combater a halitose. 

Mas alguns hábitos mais importantes são beber água com frequência, para incentivar a produção de saliva, que protege os dentes e o mau hálito. 

Outra situação que ajuda a reduzir é se alimentando de 3 em 3 horas, pois ficar muito tempo em jejum pode ocasionar a halitose. 

Muitas pessoas pensam que apenas escovar as dentições resolve todos os problemas bucais. Isso é um mito, pois apesar de alguém realizar uma ótima limpeza dos dentes, é imprescindível também escovar a língua, evitando a saburra lingual.

A língua má higienizada é um dos maiores motivos para se ter halitose crônica, ao higienizar os dentes e a língua, é provável que sua boca fique sempre com hálito fresco, a não ser que o mau hálito seja devido a doenças sistêmicas. 

Procure estar sempre higienizando a boca da forma correta, para que evite esse problema que afeta tantas pessoas no mundo. A halitose tem solução, mas também possui prevenção. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Distúrbios alimentares

Muitas pessoas que possuem distúrbios alimentares não têm a exata dimensão de como esses problemas são perigosos. 

A palavra-chave para essa discussão é justamente o distúrbio, que pode ser definido como “Uma grande variedade de condições que afetam humor, raciocínio e comportamento”. 

Ao mesmo tempo, é muito comum também encontrar pessoas que convivem com amigos ou familiares que estão passando por essas situação e acreditam que seja apenas “frescura”, podendo prejudicar ainda mais as pessoas que estão passando por isso.

Nesse artigo, veremos tudo sobre os distúrbios alimentares, explicando o que é, como eles surgem, quais os principais exemplos e, essencialmente, de que maneira esses distúrbios podem afetar a saúde bucal da população.

O que é distúrbio alimentar?

Como dissemos, um distúrbio é uma condição psicológica que afeta as pessoas de diferentes maneiras, mudando principalmente o raciocínio e o comportamento.

Quando falamos em distúrbios alimentares, associamos essas condições ao comportamento alimentar, ou seja, as práticas de consumo de alimentos pelas pessoas que possuem esse distúrbio.

Normalmente as pessoas que possuem distúrbios alimentares, essencialmente a bulimia e a anorexia, que são os mais comuns, têm problemas relacionados com o seu peso e sua forma corporal. Esse problema pode ser gerado por pressões cotidianas da sociedade, padrões estéticos, bullying, entre outros.

Dessa maneira, os distúrbios acabam, de diferentes formas, fazendo com que as pessoas tenham dificuldades em manter uma alimentação saudável, bem como manter a sua saúde física qualificada.

  1. Bulimia

Como dissemos, bulimia e anorexia são os distúrbios alimentares mais conhecidos e comuns. A bulimia se caracteriza pelo processo de tentar “botar para fora” os alimentos que a pessoa consome durante o dia a fim de que essa alimentação não aumente seu peso, pelo contrário, ajuda a perder peso. 

Dessa maneira, uma pessoa com bulimia acaba abusando de laxantes ou então provocando o vômito excessivo, sendo essa uma das principais preocupações de dentistas de plano dental empresarial, como veremos melhor mais para frente.

  1. Anorexia

Nesse distúrbio, a pessoa visualiza seu peso de maneira distorcida. Dessa maneira, mesmo que ela esteja em um peso considerado padrão, sem estar acima ou abaixo, ela sempre acreditará que está mais pesada do que a realidade. Com isso, ela acaba tendo algumas práticas que podem ser totalmente prejudiciais para o corpo e para a saúde de modo geral, tais como:

  • Uso de laxantes;
  • Provocar vómitos;
  • Exercícios físicos em excesso;
  • Dietas super restritivas.

Danos

Todos os distúrbios alimentares podem causar uma série de danos para as pessoas, tanto fisicamente como psicologicamente. 

Primeiramente, o modus operandi dessas patologias afetam diretamente a saúde psicológica. Uma pessoa com anorexia ou bulimia é totalmente afetada psicologicamente, acreditando sempre estar acima do peso, mesmo não estando. 

Com isso, ela entra numa rotina totalmente desgastante para o seu psicológico, consistindo principalmente em provocar vômitos para que a alimentação não interfira diretamente no seu peso. 

Junto com isso, a pessoa tende a se isolar, se sentir estressada, ansiosa e até mesmo depressiva.

Ao mesmo tempo, os danos para a saúde física são importantes. Por conta das ações constantes de provocar vômitos, exercícios em excesso, pouca alimentação e uso de laxantes, o corpo não mantém nutrientes necessários para se manter saudável. Em casos extremos, a pessoa perde tanto peso e massa que não consegue mais se manter em pé.

Distúrbios alimentares e saúde bucal

Indo a uma consulta com especialistas de um plano dental para empresa, por exemplo, eles certamente falarão das grandes variedades de problemas que podem prejudicar a sua saúde bucal ao longo da vida. 

Mas, de que maneira esses distúrbios também podem causar problemas para a saúde dos dentes?

Bom, a explicação mais básica e simples que você encontrará em uma conversa com seu dentista de plano odontologico pme, é que, além da falta de nutrientes adequados decorrente de uma alimentação saudável existem problemas graves e comuns. 

Os vômitos, por exemplo, também podem ser bastante prejudiciais, causando a erosão dentária.

A erosão dentária consiste no desgaste e na perda do tecido dental por decorrência das ações de bactérias, geralmente causada pelos ácidos, que podem ser encontrados em bebidas, comidas e também no próprio estômago.

Quando falamos de vómitos, a preocupação de dentistas de plano empresarial odontologico é que os vómitos são bastante ácidos, já que são provenientes do ácido estomacal. 

Como uma pessoa bulímica e anoréxica acaba forçando o vômito constantemente, todos os dias, as quantidades de ácidos estomacais que passam pela boca, afetando os dentes, é enorme.

Com o passar do tempo, isso acaba gerando essa perda do tecido dental. Em casos muito graves, esses quadros podem ser irreversíveis, e os dentes certamente serão perdidos.

É justamente por decorrência desse problema que dentistas de plano dental para mei  podem ser os primeiros profissionais a identificarem essa condição, apenas observando a gravidade da erosão dentária durante uma consulta. 

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.